7 de fevereiro de 2014

Projecto 05: Piano Preparado



O que é:
O Piano Preparado é um projecto que consiste em transformar um piano velho (disfuncional sob o ponto de vista do uso convencional) numa espécie de instrumento-global, capaz de produzir sons muito diversos, texturas complexas, que pode ser tocado por várias pessoas ao mesmo tempo, e que permite uma dose de exploração e descoberta excepcional. Ao longo de vários projectos artísticos temos vindo a explorar novos ângulos de aproximação ao piano (Anatomia do Piano, Pianoscópio) e fomo-nos apercebendo que há muitas formas interessantes de fazer soar um piano, algumas das quais não necessitam da preparação musical que normalmente o uso convencional exige. Paralelamente fomo-nos apercebendo que há muitos pianos abandonados porque já não funcionam no sentido tradicional mas que têm um potencial imenso de serem instrumentos de expressão musical, desde que se aborde a questão a partir dum ângulo diferente. Este projecto, Piano Preparado, é muito fácil e está basicamente dependente de se encontrar um piano que alguém não queira mais. As pistas que fornecemos aqui são apenas algumas das que testamos com sucesso.

Como se faz:
Materiais e Ferramentas:
Para fazer um Piano Preparado precisa dum piano velho sobre o qual possa intervir à vontade sem a preocupação de estar a estragar um instrumento que afinal gostaríamos que fosse afinado, recuperado, etc. Pode parecer estranho mas há de facto muitas situações em que o estado de degradação é tal que não justifica o arranjo e os proprietários agradecem a quem os livre do “fardo”. O piano que mostramos neste projecto é um desses casos.

O projecto consiste simplesmente em abrir o piano de forma poder ter acesso directo às cordas e usar um conjunto de utensílios que podem fazer as cordas soar de formas diferentes. Normalmente o piano toca-se com os dedos num teclado que acciona umas “baquetas” (martelos) que percutem as cordas, e por isso o pianista não interage directamente com a fonte que produz o som. Neste projecto a ideia é manipular directamente as cordas friccionado, percutindo, introduzindo pequenos objectos que transformam o som.


Procedimento:
Abrir o piano e retirar os tampos é muito simples, mas os vários pianos podem ter diferentes formas de fixação das peças que se devem retirar. Os pianos têm um tampo superior, um tampo frontal, um tampo sobre as teclas e um tampo inferior. Todos eles saem facilmente.

O mecanismo do piano (a parte mecânica que contém os martelos e os abafadores) também pode e deve ser retirado.

O piano está agora pronto a ser tocado de várias formas, muito diferentes da habitual. Para isso vai precisar de alguns utensílios. Esta lista não é exaustiva, são apenas algumas das hipóteses que experimentámos com bons resultados:
  
Sedielas (fio de pesca)
A ideia é friccionar as cordas com movimentos de vai e vem. A sediela deve causar algum atrito na corda e isso pode ser conseguido colocando resina (do tipo que se usa nos arcos dos instrumentos de corda) ou passando uma lixa.


Fita magnética (de cassete vídeo) 
A ideia é amarrar a fita ao topo da corda e friccionar a fita fazendo deslizar os dedos humedecidos.


Escovas (de roupa, calçado, dentes, etc.)
Podem ser usadas escovas de vários tamanhos e dureza (mais macias ou mais ásperas) para friccionar as cordas.


Plectros
Uma forma muito simples de fazer um plectro é usar uma abraçadeira de electricista apertada à volta duma rolha de cortiça ou pedaço de madeira e cortada de forma a ficar com 4-5 cm livres para pinçar as cordas individualmente ou percorrer um conjunto de cordas contíguas.



Baquetas
Podem ser usadas baquetas de todos os tipos, desde as que já existem para outros instrumentos de percussão até outras muito simples que se podem fabricar com pauzinhos chineses e cortiça por exemplo. As baquetas podem-se usar directamente sobre as cordas ou então sobre alguns objectos colocados entre as cordas que alteram o som. É o caso por exemplo de molas de madeira que alteram a sonoridade para um som que evoca o som de gongos ou de pregos de cabeça larga.


Bolas pinchonas (bolas saltitonas)
Embora sejam parecidas com baquetas a ideia aqui é friccionar as cordas, arrastando a bola ao longo duma ou de várias cordas, colocando alguma pressão. O efeito é o de uma espécie de rugido ou lamento.


Pedras
Podem ser usadas pedras lisas para friccionar as cordas.


Parafusos
Colocam-se entre as cordas e podem ser percutidos com baquetas ou postos em movimento oscilatório por acção da mão (o resultado é um som muito longo sem altura definida).


Algumas composições originais:

          
Protocolo 
Este é um esquema para imprimir e ter ao pé de si quando estiver a realizar este projecto.

Clique aqui para descarregar instruções de montagem.